novembro 26, 2007

Ai que saudades



da lareira acesa
do pinheirinho no meu pátio
da estrada do campo coroada de papoilas
dos chorões das margens do Tejo
de um jantar no Bairro Alto
de morcelas com laranja
do cheiro do Alentejo
e do frio de Marvão.

...e eis-me à desgarrada com a Leonor.

11 comentários:

Sofia disse...

Como eu te compreendo! Também teria saudades dessas coisas todas se estivesse tão longe e de mais umas quantas... Essa da morcela com laranja deu-me uma ideia para o jantar... (depois não quero estar gorda, só penso em comida!)

beijinhos

p.s. Zangou por causa do molho de brócolos, ou esqueceu di mim?

Capitão-Mor disse...

Olha, queres-me pôr em prantos? :)

leonor disse...

lol, Mad, cada uma com as suas ;-)

Compreendo bem as saudades da lareira, agora mesmo a minha está ali a crepitar mas numa coisa jamais concordaremos: odeio frio, de marvão, da lapónia ou aqui de Mafra. Odeio com todas as forças da minha alma ;-)

Fatyly disse...

Ai que saudades

do calor da minha terra vermelha
do pinheirão no canto da sala
do quintal cheio de luzinhas
do fundo da ilha de Luanda
de uma patuscada no Baleizão
recheada de camarão
mas com uma telha
a este frio direi sempre Não!

:)

Luis disse...

Atentem no que a Madalena diz. O nosso frio português tem o sol de Inverno. E é único!

Mad disse...

Sofia, estou a trabalhar no teu assunto. E a "culpa" não é tua, ela é que é distraída.

Sofia disse...

Quanto a ti leva o tempo que precisares...

Quanto a ela (não sei pôr em itálico)Distraída? Já lhe disse que essa não pega... chama-se idade!!!
Mas também havemos de lá chegar... eu depois de ti, claro! ;(

beijinhos

P.S. Agora vamos MESMO ser co-afilhadas, sabias?

Huckleberry Friend disse...

Mad, o jantar no Bairro Alto fica por minha conta. Será ocasião para pôr voz e gestos num rosto que conheço daqui, numa amiga blogueira que em breve se tornará de carne e osso! Beijinho do também co-afilhado...

Adélio do Tempo disse...

Quando percebo pessõas assim, canto
"livre esqueci que fui um dia" de um cara chamado adélio do tempo.
Memoriando ainda que tardia. Bem planejado seu raciocínio!!!
Aí vai minha crítica...vc é muito bonita!

Mad disse...

Olá, Adélio, seja bem vindo.

Mas não, engana-se, não foi nada planeado, e sim escrito "à desgarrada", o que traduzido quer dizer ao desafio, sem pensar.

Obrigada pela visita (e pelo elogio!).

Adélio do Tempo disse...

Tá sumida moça bonita, com todo o respeito! O que tem feito? Dormindo na varanda sobre a rede... ou talvez viajando em cima de um passarinho!