março 04, 2009

Alzheimer

Acabei de dar conta de que me esqueci das chaves de casa e do carro do lado de fora da porta a noite toda. Ainda bem que vivo na Parvónia.
.

12 comentários:

Patti disse...

Deixa lá, que eu também já tentei abrir a porta de casa com o comando do carro; carregava, carregava e a porta nada!

João Paulo Cardoso disse...

Ia comentar com uma gracinha qualquer, mas esqueci-me...

Beijos.

Rachel disse...

Lindo serviço, sinsanhor!

PKB disse...

Acabaram-se as fotografias de comestíveis no twitter! :p) eheheh

Finúrias disse...

Sorte a tua Mad, sorte a tua :))))

Mãe da malta disse...

Eu vivo em Londres e já deixei duas vezes, felizmente a minha vizinha da frente meteu-as na ranhura do correio.

Nikky disse...

Acontece-me muitas vezes! Mas como vivo na Terrinha, os vizinhos põem-nas na minha caixa de correio. Há que haver também vantagens! :)

Mad disse...

Patti,
Lindo! Eu ainda não cheguei a esse ponto :)))

JP,
Hã? Oi? :)

Rachel,
Podia ter sido bem pior: podiam ter desaparecido e era uma bronca.

PKB,
Ahahahahah! Deve ter sido exactamente disso, tens razão! Fiquei baralhada das ideias, tá visto.

Finúrias,
Não tenhas dúvida!

Mãe da malta,
Credo, isso é que é um perigo! Aqui na Parvónia, se alguém desconhecido me entrasse em casa, eu provavelmente saberia 10 minutos depois.

Nikki,
Exactamente. Mas há mais vantagens além dessa.

Diabba disse...

Ahhhhh então aquele ar alienado de "estarei em Marte?" é o alzheimer!!

hihihihihihihi

enxofre

Fatyly disse...

Deixa lá rapariga que não és a única:) e não moro na Parvónia:)

Caramba, também o diabo não há-de estar sempre atrás da porta não achas?

Teresa disse...

Tu nem me fales em chaves, que me lembras de sexta-feira...

Ó Nikky... e depois como é que abres a caixa do correio?

Carlota disse...

Alzheimer?... Não, és muito nova.
Tenta pôr mas é as culpas em alguém, género, foi por causa dos cães. O que me faz lembrar: quem é que ousaria aproximar-se da porta com os cachorritos tão perto?