setembro 15, 2007

Dias perfeitos

Aí há um ano atrás, estiveram cá dois grandes amigos meus de férias, em Jericoacoara. Já tinham estado várias vezes no Brasil, mas, como bons amigos que são, tinham saudades minhas e vieram cá de propósito ver-me. Passámos uma semana deliciosa – Jeri é uma praia de cair para trás de bonita e tem um ambiente meio hippie, meio zen, meio chic, a mistura certa, do tipo “tá-se bem”.

E eles lembraram-se de dar um passeio a cavalo pelas dunas ao fim da tarde. O Diogo não monta a cavalo (deve ser das poucas coisas que ele não faz bem, mas há-de aprender) e eu, apesar de, como boa ribatejana, ter aprendido a montar com 4 ou 5 anos – e à séria – não montava à vinte cinco, portanto estava assim a modos que com medo de fazer má figura.

Claro que me tinha esquecido que andar a cavalo é como andar de bicicleta: o corpo lembra-se. O Diogo, coitado, andou ali a passear com um “guia” e nós três fomos galopar duna acima. E que duna! Quem já foi a Jeri sabe que mesmo no meio da praia está a duna mais bonita do mundo, redonda, em forma de meia-lua, com o mar a lamber-lhe as faldas. Aliás, o pôr-do-sol visto lá de cima é uma peregrinação obrigatória, e todas as tardes se vêem dezenas de pessoas a subi-la.

Mesmo descalça e num cavalo desconhecido (e que era surpreendemente bom para ser de aluguer), parecia eu que nunca tinha saído de cima de uma sela estes anos todos, tal foi o à-vontade, a liberdade, o entendimento entre o cavalo e eu.

Uma delícia. Se montar a cavalo é bom, o que dizer de o fazer num sítio assombrosamente lindo, ao pôr-do-sol e com os melhores amigos do mundo?

7 comentários:

pedro sanchez disse...

Eu conheço essa sensação maravilhosa que é o de andar a cavalo numa praia.

Aconteceu-me algo parecido aqui no Baleal, com os cavalos do Paulo Branco.

Um dia apareceu-me a Rita Bella Morais em minha casa perguntando se eu queria ir montar a cavalo, nuns puro sangue árabes do Paulo, onde ele fazia as provas de resistência. Eu disse-lhe que já não montava às uns vinte e tal anos e que certamente já nem sabia, muito menos árabes cheios de sangue. Ela riu-se e com aquele ar risonho de sempre disse-me, "parvo isso nunca se esquece, anda".

Mas aconteceu exatamente como tu contaste. Não se perde o jeito vem de imediato ao de cima como azeite na água.

Claro que no dia seguinte nem me mexia com dores no rabinho, mas passámos os dois a montar com frequência diária no Verão e aos fins de semana os cavalos do Paulo, já que ele tinha pouco tempo na época.

Pena que entretanto o Paulo levou os cavalos para outro sítio.

ana vidal disse...

Jeri é um deslumbramento. Não me lembrei dos cavalos quando lá estive (podias ter falado nisso!) mas o Baleal não lhe fica atrás em nada. Fica já combinado, PP, um passeiozinho às Pedras Muitas ou até Peniche, em qualquer pileca de aluguer que haja por ali. Ok? Também tenho saudades de montar a cavalo.

Luis Castilho disse...

Esses bons amigos somos nós. :)
É bom ouvir isso e relembrar que tive de ser teimoso como um burro para vos convencer a montar (salvo seja). Até o José Rocha, vulgo Zelito, estava renitente. Dessas férias o que mais recordo com gosto foram essas galopadas à beira mar, que em Portugal são cada vez mais interditas fruto do nosso pseudo-europeismo. A coisa este ano esteve mais pobre. Uns dias na Turquia, sem cavalos ...

Mad disse...

PP, as minhas pilecas de aluguer ao pé dos puros do Paulo Branco... nem comento! Que inveja.

Ana, isto foi muito depois de cá vires. Se não fosse o Luís, não me passaria pela cabeça montar cavalos de aluguer de beira de praia e ainda por cima no Brasil: achei sempre que eram "inmontáveis".

Luís, não me digas que nem cavalos podemos levar para a praia! Aqui podes levar tudo: vacas, cabritos, cabras (vêem-se muitas...) e o mais que te apetecer. ;D
E a Turquia, "coitadinhos", não me digam que não gostaram!!!

Kika disse...

QUANDO FUI PELA 1� VEZ AO BRASIL, EU QUE ADORO PRAIA, FOI PARA IR VISITAR UMA AMIGA MINHA QU ETINHA IDOVIVER PARA L�, MAS PAEA O FIM DO MUNDO ONDE NEM PRAIA HAVIA.
fUI SOZINHA DE AVI�O (8 hORAS) E DEPOIS MAIS 7/8 DE CAMIONETA E MAIS 2 HORA PARA CHEGAR A FAZENDA.
BOM N�O �. fOI UMA VIAGEM COM MTAS PERIP�CIAS PARA MIM AINDA POR CIMA SOZINHA, MAS LA FUI EU.
FOMOS 3 DIAS A JERI MAS AT� A A� EM VEZ DE DEMORARMOS MEIA MANHA A CHEGAR DEMORAMOS O DIA TODO, SO SOBRARAM 2 EM QUE UM CHOVEU, RESUMINDO SO FIZ UM DIA DE PRAIA. OBRIGADO POR TE TERES LEMBRADO....
ESTA ANO TORNEI A IR AO BRASIL MAS FUI 1� A PORTO GALINHAS E UMA VEZ MAIS VOLTEI A IR VISITAR A MINHA AMIGA OU SEJA LA FUI EU PARA O FIM DO MUNDO. PELOS VISTOS A MINHA ESTADIA LA N�O DEVEM TER SIDO DIAS PERFEITOS.

BJS

Mad disse...

Não sejas ciumenta! O meu coração chega e sobra para vocês todos e mais que venham! E está quase a chegar a tua vez de ser comentada aqui no blog. Só me lembrei destes dias porque tinha acabado de descobrir o Luís na net.

Irra!

Mad disse...

E escrever com maiúsculas na net é igual a gritar!