agosto 13, 2007

Lobistas à brasileira

Genival Inácio da Silva – mais conhecido por Vává –, de 66 anos, ex-metalúrgico e funcionário público reformado, é o mais alegre e expansivo dos seis irmãos do presidente Lula. Há cerca de dois meses, Vává foi indiciado pela Polícia Federal com a acusação de “tráfico de influência no Executivo e de exploração de prestígio no Judiciário”, actuando em favor de um grupo que explorava ilegalmente máquinas caça-níqueis, contrabandeava componentes electrónicos contrafeitos e pagava subornos a polícias.

De acordo com a Polícia Federal, Vává, apanhado em flagrante em várias conversas telefónicas, pedia de 2.000 a 5.000 reais (de 800 a 2.000 euros) para abrir portas de gabinetes em Brasília, tentando facilitar o andamento de processos e agendar reuniões com parlamentares. Aliás, ele não gosta de perder tempo: nem dois meses depois de Lula ter sido eleito pela primeira vez, Vává tinha aberto uma empresa de “acessoria comercial”.

Mas poucas vezes teve sucesso. Segundo os federais, Vává prometia muito mais do que podia fazer e vendia o acesso a autoridades que não tinha, sem deixar de se cobrar por causa disso. Numa dessas visitas, um empresário começou a reclamar “O que a gente combinou é que eu ia ver o Lula!”, em voz suficientemente alta para ser ouvido nos corredores do palácio. A cena constrangedora durou até um acessor informar que o presidente talvez pudesse receber o empresário “noutra ocasião”. A coisa acalmou, mas o mal já estava feito: a cena foi gravada por um jornalista e foi parar à televisão. E Vává está preso.

E o mal parece ser de família: meses antes, Frei Chico, o outro irmão de Lula, tentara fazer o mesmo, visitando ministérios acompanhado de vários empresários.


(Fonte: Época)

6 comentários:

ana vidal disse...

Nepotismo. Uma praga que não é só dos países do 3º mundo - por cá há muito disso, também.

Mad disse...

Não, é mesmo "bronquite". Isto só não funcionou porque o Vává é pra lá de burro. Ou tens alguma dúvida?

ana vidal disse...

Pois, isso ainda é mais ridículo.
Quando abri esta página e vi a fotografia do Vává fiquei pasmada: pensei que era o Manteigas. Lembras-te dele, o choffeur do tio João? Estava em Aveiras, na missa da mãe. É mais velho do que este mas é igualzinho!! Não está é tão bem encostado, coitado.

Ricardo Fonseca disse...

Má vontade!

Isto é gente que apenas tenta quebrar a burocracia. O que tem custos, é óbvio!

Tudo feito de boa fé...há dúvidas?

estanas disse...

ola pretos,espero que esteja tudo do best,fui ver o teu irmao ao hospital,mas agora o gajo esta pronto para outra.ja tenho saudades vossas.bjs

FL disse...

Maria,

Actualiza lá esta cena... E as fotos da casa nova, hum?

E já poliste as pratas para receber a malta?!

Vá... actualiza-te, insana do meu coração!