junho 06, 2009

Mãe é mãe e faz-nos falta como o chão


Dói-me a alma de ver uma uma pessoa, que foi em tempos a minha segunda mãe, tão doente e debilitada. Tão diferente da pessoa doce e equilibrada que sempre foi. A velhice é uma coisa tramada que às vezes nos transforma num oposto gritante de nós próprios e ao que habituámos os que nos rodeiam. Faz-nos maltratar os que nos são mais próximos, como que de propósito para não deixar (muitas) saudades. A demência é uma benção para quem sofre dela, mas um inferno para os outros.

Estou assim, triste.
.

10 comentários:

Alexandra disse...

Beijinho, Mad. Aproveita bem, ainda que custe muito.

alf disse...

Abraço muito apertadinho.

catarina

mad.vidal@hotmail.com disse...

Tks, guys :)

filos disse...

Não sei que dizer....fizeste-me chorar!
Tu sabes como dói fundo e como apetece gritar......

Mad disse...

Pois sei, querida.

Fatyly disse...

Subscrevo e actualmente tenho a minha mãe a recuperar de uma queda e a minha segunda mãe a MR num lar, ao longe...e enfim...não estou triste, mas desfeita por não poder fazer nada:(

Músico Guerreiro aka Melões disse...

Sabes que ja assisti de perto a demencia. Causou-me desavencas e discussoes com a minha mae. Afinal era a minha avo. Escrevi dois textos sobre ela. Um sobre a doenca e outro sobre o fim. Nao nos maltratou, tivemos essa experiencia com as minhas bisavos mas eu era muito pequeno. A avo foi-se apagando ate desaparecer. O que interessa e que sabemos como estas pessoas realmente sao e esta imagem que temos de guardar delas.
Beijo grande.

papoila disse...

Já passei pelo mesmo.
Fui filha, mãe, amiga, empregada doméstica, enfermeira, cozinheira, motorista da minha MÃE...,às vezes agradecia-me outras magoava-me e muito! E foram 5 anos mesmo muito muito tristes.
Não sei se consegui ser uma "boa profissional" em todas as tarefas, mas sei que fiz o melhor que pude.
Tive a sorte de no fim a melhor amiga da minha mãe quando me deu "aquele" abraço de cumplicidade me disse baixinho " fica bem. podes dizer para ti: TAREFA CUMPRIDA" e esta frase soube-me pela vida.
Para esta fase que estás a passar desejo-te muita paciência e calma.
xx

Luz disse...

Sei bem do que fala, e sei como é triste, como nos consome a alma assistir a essas perdas, ora lentas, ora inesperadas e violentas.
Sou totalmente solidária com o seu sentir, a sua tristeza.

ElsaTL

Com o Rei na Barriga disse...

Nem imaginas como te compreendo!
Um beijo grande