maio 27, 2009

Pensava que tinha saudades disto, mas não estava a ver o filme todo


Começa oficialmente amanhã a Feira de  Maio e mais um fim-de-semana de largada de toiros aqui na Parvónia. E eu digo oficialmente porque a vila já está transformada num inferno de areia, vento, calor, bêbados e altifalantes a debitar decibéis de fado castiço e paso doble todo o santo dia (e noite), à mistura com o agradável perfume de entremeada e sardinhas a assar em tudo o que é esquina.

Há dez anos que não estou cá na feira e achei que já me apetecia assistir. Mas não. Afinal, do que eu gosto mesmo é da largada, de ver os campinos a galopar a toda a brida pela rua principal, à frente dos toiros e dos cabrestos. Eventualmente de, por uma horinha, olhar o toiro de perto - do lado de dentro das tronqueiras, obviamente, que para o lado de fora ia quando era jovem e inconsciente. O resto do espectáculo já não é para mim.
.

19 comentários:

Paulo disse...

Era o tempo do "Auto da Feira". Confesso que tenho saudades de quando éramos esses jovens inconscientes e íamos para os carrinhos de choque quando não tínhamos aulas. O pior é mesmo o resto do filme. Estou a vê-lo muito bem.

filos disse...

Pois é... lembro-me muito bem desses tempos passados e do que nos divertíamos nas tronqueiras! Também já não é para mim... embora há muitos sem estar aí, tal como tu. Incrível como a idade, os anos e as experiências nos modificam!
Beijinho

Paulo disse...

Viva Filos!
Eu não ponho os pés na Feira de Maio desde esse tempo.

Ah! Também me lembro muito bem de certas comemorações extra-feira. Como isto não dá para enviar flores, vai daqui um beijo.

filos disse...

Obrigada Paulinho!Descobri umas fotos bem giras dessas outras comemorações extra- feira!

Paulo disse...

Manda, manda. Please.

Filipinha disse...

Mad,

Nunca fui à Feira de Maio. Gosto desse tipo de festas e quando morei em Alcochete tinha não uma mas duas por ano. Como morava quase no centro da Vila tinha alturas em que nem conseguia chegar de carro a casa.
Um ex-namorado meu que hoje é um amigo muito querido também é da "Parvónia" (se ele lê isto mata-me) e vibra com a Feira de Maio... Talvez por influência passei a gostar de algo que nem conheço :))))

Bebe também uns copos valentes e pode ser que vejas alguma coisa positiva!!!

Rodri disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mad disse...

Rodri(go?),

Desculpa ter apagado o teu comentário, mas por alguma razão eu chamo Parvónia e não o nome correcto aqui à vila...

Ninguém gosta mais disto do que eu, que estive fora por quase 10 anos. E acredita, não tenho vontade de me mudar tão cedo. Mas é confusão a mais, barulho a mais, pó a mais... e já me vai faltando a paciência, principalmente quando levo com pedradas nas janelas, carros estacionados por dias a fio dentro do meu pátio e em frente do portão e poças de vomitado de metro a metro. Não, já não vejo o romantismo.

E não é pobreza de espírito, que ideia!, é saudosismo do bom.

Bem-vindo, com críticas ou sem elas :)

Rodri disse...

Quando disse pobreza de espírito terá sido talvez porque interpretei mal as tuas palavras, até porque percebi que ainda tinhas aí uma certa paixão pela vila!!! O romantismo encontra-se onde nós quisermos, por vezes até numa pedra de calçada. Claro que é impossível fechar os olhos a algumas infantilidades que nos prejudicam o dia-a-dia, mas temos que saber contornar as contrariedades e dar prioridade ao que nos move e sobretudo ao que move o nosso espírito. esse tem que estar sempre salvaguardado!! Pode ser que nos encontremos por ai... e eu sou Rodrigo, sim! E também o ex-namorado falado num comentário anterior... :) Já agora porque apagaste o comentário?

Alexandra disse...

Ahhh, essas feiras eram a minha delícia quando miúda na parvónia da minha mãe! :-)

Mad disse...

Rodrigo,

Só apaguei porque não quero o nome da vila aqui escarrapachado (eu sei, eu sei, é óbvio; mas escuso de facilitar, não achas? Qualquer dia batem-me à porta...)

E tens razão, é só uma semana por ano. Acho que estou muito (mal) habituada a sossego :)

A solução foi ir aos toiros hoje (agora começa à quinta...), ir ouvir a Ana Moura mais tarde e arrancar amanhã cedo para um fim-de-semana no Alentejo. E segunda vejo a largada outra vez, mas já é bem mais calmo.

Beijos à Filipinha :)

CoRa disse...

Desde não se maltratem os toiros, acho que pode ser bem giro... A poeira, a barulhada, o resto pode até ser divertido :) Fotografa!!! Queremos ver ;)

Mrs. Jones disse...

Não há vida como a do campo!

:)

Mad disse...

CoRa,
Não tenho lentes :(

Mrs. Jones,
Não tenhas dúvida. LOL!

jardinsdeLaura disse...

Mad,

Deve ser um espectáculo inesquecível! Quando era criança e passava férias em Lisboa com os meus avós tenho a vaga lembrança de ter assistido a algo parecido numa terreola chamada "Moita"! Não me importava nada de voltar a rever! Pois nunca mais esqueci... sobretudo as cores e o calor do espectáculo!

Naja disse...

o que acontece se eu der demasiada comida aos teus peixes?

Mad disse...

Laura,
É lindo, principalmente quando se nasceu no meio disto :)

Naja,
Estes não morrem, podes dar à vontade :)

Intruso disse...

e ver as bestas do segundo andar.

digo eu... :)

ana v. disse...

A ver se vou aí amanhã, matar saudades.
Beijos