abril 16, 2009

Junkmail: afinal é giro


Nem todo o junkmail é mau. Um destes dias recebi um a que não resisti: La Redoute! Assumo que passo boa parte do meu dia a percorrer o catálogo online e sou a fã número 1 da coisa toda.

Ah!, as lembranças que me vieram à cabeça! Eu e as minhas c'leguinhas de trabalho a escolher ansiosamente do catálogo as pechinchas, as promoções, a fazer encomendas conjuntas para poupar despesas de envio, a preencher o formulário à mão, a não deixar passar quaisquer oportunidades de desconto, a achar o máximo que eles dessem 40% de desconto no nosso artigo preferido (obviamente o mais caro), a distribuir irmãmente os presentes... e a ficar quase sempre desiludidas com o produto final, já se sabe, o barato sai caro. Mas na Redoute não, por acaso, porque se podia experimentar e trocar coisas quase ad infinitum e de graça. E eu nunca gostei de provar roupa na loja. Compro, provo em casa e volto para trocar, se fôr caso disso. Qualquer dia sou barrada no Campera, já faltou mais.

Hoje, ao fim de não sei quantos anos sem sequer me lembrar que a Redoute existia, recebi a primeira encomenda. Comprei um bikini, um fato-de-banho e umas t-shirts, nada de especial. Os dois primeiros são de excelente qualidade (não foram baratos), as t-shirts nem por isso (foram quase de graça). E ofereceram-me uma parka fantástica, que queridos, e mais uma data de coisas na próxima encomenda, que não me interessam minimamente, mas pronto, são de graça. E uma pessoa esquece-se logo que até tirou um curso de marketing e que isto é como a coca, é feito para viciar e comprar outra vez, e outra, e outra...
.

2 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

efeito psicologico do marketing... que leva ao sobreendividamente bla bla bla


beijinhos

Marisa disse...

eu tb sou fã.. compro montes de coisas!!

adoro!!!

jokas

Marisa