fevereiro 25, 2009

Há que pegar o toiro pelos cornos


e para isso basta-me ilustrar as palavras dela.

18 comentários:

Teresa disse...

Ai que o cor-de-rosa te subiu à cabeça! Andas mesmo a querer atrair leitores! LOL

PKB disse...

Ai, Mad... o pessoal vê uma coisa destas e fica avariado... eu imagino os senhores "incomodados"... pois, tá bem! As criancinhas devem ter achado o máximo!
Braga no seu melhor catolicismo hipócrita... ó valha-me Sta. Passaroca!

diogo disse...

Teresa,
Pelo menos não é um post cor-de-rosa, pelo contrário.

PKB,
Incomoda, não é? Mas se olhares muito para ele, perde um bocado o sentido.

Mad disse...

(adivinhem quem é o diogo ali de cima...)

Maldonado disse...

Acho que os bracarenses devem ser adeptos da depilação púbica, por isso é que chamaram a PSP, para que esta imagem não transmitisse às suas filhas e mulheres uma ideia anti-higiénica e inestética... :))
Pelos vistos há muita gente que tem saudades do tempo do ti António... :(

Músico Guerreiro aka Melões disse...

nao era necessario levares o meu comentario anterior tao a peito!
Beijos

João Paulo Cardoso disse...

Aluga-se campo de golfe.

Necessita de relva aparada e só tem um buraco, mas pronto.

:)

Beijos.

Mad disse...

Maldonado,
Provavelmente :)

Melões,
Porquê? Achas que isto é um post com tomates? LOL!

JP,
:)

Diabba disse...

Um post com tomates não será, quando muito é um post com meloas.

Caramba, para além da "mata" também se notam os pêlos nas pernas, uma vergonha, coitados dos pais dos miúdos, deve ter sido traumatizante relembrarem os anos 70! hihihihihihi

enxofre

Xívico Anacleto disse...

Ejxelentíxima Menina Dona Mad:

Poij num xei que lhe diga, que num é xupojto eu ir ao arrepio daj ordenj dimanadaj xuperiormente, xob pena de reprejáliaj que podem fajer perigar todo o xetatuj quo.

Pexoalmente, acho que a reprodução do quadro do Xenhor Gujtave Courbet pode afligir ejpíritoj maij débeij e pexoaj menos bem formadaj e, portanto, debe xer ejpojta com algum recato (lamento num xer tão liberal como algunj doj outroj comentadorej...).

Num é a qualidade que ejtá em cauja maj o que é fáqueto é que, em nome da Arte, xe têm cometido algunj dijlatej. Quer um ejemplo? Aquele pretenxo artijta (Guillermo Habacuc Bargaj, costa-riquenho)que ejibiu uma "obra de arte" que num era nem maij nem menoj do que um cão a morrer à fome.

Combalidoj e rejpeitojoj cumprimentoj do
Xívico Anacleto, o boxo guarda predilecto!

Mad disse...

Caro Cívico,

Bom... aquilo era uma feira do livro, não era propriamente o recreio da escola!

Que pode chocar pessoas mais sensíveis, pode. Mas daí a proibir-se por atentado à moral e bons costumes vai uma grande distância.

Quanto ao porto-riquenho, isso é crime. Ponto. Vai contra a lei, que eu saiba. A exposição de um quadro vai?

alf disse...

Olha uma c...oiso! :DDD

alf disse...

sou eu, a "catezinha"! mas fica alf aqui na conta do blogger.

Mad disse...

Cat,
LOL!

CITRAG disse...

Deixei-te um desfio no meu blog!

Xívico Anacleto disse...

Muito ejtimada Menina Dona Mad:

Quero que me entenda!

Xe conxeptualmente não ejtou contra a ejibixão da imagem em quejtão (nem, xequer, de outraj maij "fortej"), acho que temoj de xer pragmáticoj e perxeber que nem todaj aj pexoaj têm mentej abertaj.

Ao que li, oj meuj camaradaj actuaram na xequênxia de báriaj queixaj.

Xe a áquexão foi ejxexiba? Foi, xem xombra de dúbidaj! Bajtaba, em meu entender, ter pedido ao proprietário que rejguardaxe aj obraj em quejtão de olharej maij pudicoj. Maj ejtou que a Menina, Menina Mad, conhexe oj portuguejej tão bem como eu e já ejtou a ber o filme todo: o libreiro ou alfarrabijta, depoij de abijado peloj agentej da autoridade, há-de ter comexado a dijer que num guardaba oj libroj e que o binte e xinco de Abril e que a liberdade e que, etx., etx.

A imagem em quejtão ejtaba em ejibixão pública numa aparentemente inofenxiba feira do libro. Velhinhoj, falxoj moralijtaj, crianxaj, todoj a tal feira tinham axexo!

Longe de mim xer a fabor do xinjentijmo e do quadradijmo maj num me xentiria muito bem xe foxe com a minha Mãe (Deuj a guarde em Xua Glória) ou com um qualquer petij pelo braxo ou pela mão e deparaxe com tal grabura (quanto ao próprio quadro, num me importaria nada de xer o xeu felij proprietário...)

No que dij rejpeito ao cojta-riquenho (e num porto-riquenho...), oj engulhoj que me cauja xão oj mejmoj que oj que cauja à Menina, Menina Mad.

Dejconhexo xe aí em Portugal tal "obra de arte" pode xer crime mas, xe calhar, já axim num xerá na terra dele. Contudo, há quem tenha bijto em tal "quadro de mijéria" (e de "indexênxia", acrejxentaria eu) uma "obra de arte". E agora? Quem tem rajão?

Já para num falar num xupojto ejpequetáculo de que xe calhar a Menina, Menina Mad, como ribatejana ribatejana que é, bem gojta - aj corridaj de touroj!

Maj num me quero jangar com a Menina.

Apenaj quero dijer-lhe que a idade me tem enxinado a xer tolerante (ejcolhi cuidadojamente a ejprexão e, ainda axim, num ejtou xatijteito) com aj combiquexõej doj outroj.

Open-minded e rejpeitojoj cumprimentoj do

Xívico Anacleto, o boxo guarda predilecto!

Mad disse...

Caro Cívico,

Pronto, não nos zanguemos, que eu até percebo o seu ponto de vista. Isto de ter sangue na guelra dá-me trabalho às vezes. Mas concordo consigo, nem 8 nem 80. Bastava ter acautelado as vistas dos mais sensíveis e resolvia-se o problema.

Se é porto- ou costa- não sei, filho-da-puta-riquenho será com certeza. Se eu o apanhasse fazia-lhe o mesmo. Quem tem razão? Nós, evidentemente.

Quanto às corridas de toiros, não vamos por aí... :)

Muitos cumprimentos e deixe-me dizer-lhe que gosto sempre de o ver por aqui :)

Mad disse...

Olá, Citrag, já fui lá responder :)