dezembro 29, 2008

O exemplo vem de cima, já dizia a minha Mãezinha

O papa Bento XVI afirmou no seu discurso de Natal que «salvar a humanidade do comportamento homossexual ou transexual é tão importante como salvar as florestas da destruição».
Devemos concluir, portanto, que não ter filhos ou não ter árvores põe em causa a sobrevivência da Humanidade, certo? O mesmo Bento XVI recebeu um abeto centenário para fazer a árvore de Natal da Praça do Vaticano e mais 50 pinheiros naturais que serão usados no interior. E quem é ele para condenar os homosexuais por não contribuirem para a propagação da espécie? Ele contribui, por acaso?

8 comentários:

Paulo disse...

Há coisas que poderiam ser hilariantes se não fossem tão tristes.

A tua Mãezinha, como de costume, tinha toda a razão.

Fatyly disse...

Apesar de ser católica não praticante e acreditar no que acredito os discursos deste papa é de bradar os ceús.
O exemplo vem sempre de cima, mas este é dos tais que diz: olhem para o que eu digo e não para o que eu faço - a foto está genial - e a riqueza e fausto em que vive(m) daria para matar a fome a milhões.

Este homem tem cara de ratazana e detesto ratazanas.

Pedro disse...

Quando se referia a florestas, devia estar-se a referir a depilação brasileira... (isto sou eu a tentar achar graça à coisa, obviamente sem sucesso).

Diabba disse...

hummm (fazendo a reserva de lugar, para escrava das fornalhas)

Dp desta não te safas, já cá cantas! sua, sua infiel!!

enxofre velho

Miss Kitty disse...

É uma besta.. não há palavra melhor!

BJS*

CoRa disse...

Num tempo de globalização e apoio à diversidade, nos vem este senhor "pregar" o preconceito. Que horror... Então o amor entre iguais é mais condenável que os crimes ecológicos? "Perdoai-o Senhor, ele não sabe o que fala"...

By the way Mad... Agora me encontras num blog recém aberto :D

Bem-me-quer disse...

Muito bem dito. Gostei. E parabéns pelo blogue. Muito interessante.

Patrícia disse...

às tantas contribui, mas não convém fazer muito alarido... ;)

Li o The Book Thief faz agora um ano, e tornou-se um dos livros da minha vida. :) Boa leitura!