março 04, 2008

A propósito de multiculturalismo



Hoje vi, num centro comercial em plena Lisboa, duas mulheres de burkha, tapadas da cabeça aos pés. E, de repente, percebi que naquelas tendas andantes vivem de facto pessoas.

Uma coisa é ver na televisão, lá nos confins do mundo, outra é ver ao vivo e a cores e na minha cidade, num país civilizado desta Europa tão liberal, acérrima defensora dos direitos humanos. E a diferença é enorme.

Acho que pela primeira vez tive a noção do significado lato do que é viver uma vida inteira debaixo de uma burkha e cheguei à conclusão que não há multiculturalismo que justifique tamanha atrocidade, tamanha falta de respeito pela liberdade individual, tamanho atentado aos direitos humanos, tamanha anulação de identidade.

6 comentários:

João disse...

Olá Mad!
De facto não dá para compreender que, se use esse vestuário tão fora de moda- se ao menos fosse uma criação de um estilista famoso- que tal uma burkka desenhada por um jean paul gaultier, assim a coisa ficava muito mais divertida.
É verdade, por vezes, parece que continuamos como há cem anos atrás.
Tristes mulheres que se sujeitam a isso e homens burros e ignorantes que usam este subterfúgio para as controlarem.
Prazer

marta disse...

Estou de acordo contigo,mas....

comigo há sempre um mas...
Não somos nós europeus que temos de fazer leis para proibir um traje que tem a ver com uma cultura e uma religião.
Terão de ser elas, nos respectivos países a mudar as regras, batendo-se para isso, tal e qual como as europeias se bateram para mudar trajes, e ter direito ao voto.

Não acredito que pelo facto de não poderem entrar em locais como escolas ou faculdades se mudem as mentalidades.


beijinho

Melões Melodia disse...

sabes que pensava como tu ate vir viver para Londres. Em Londres veem-se mulheres assim aos milhares. ca no escritorio ate ha algumas. tambem a minha vizinha da frente quando sai a rua tapa-se toda, mas ja a vi destapada quando vai por o lixo e e uma rapariga lindissima, toda bem arranjada e bem vestida.

com o meu descaramento, puxei a conversa com as que trabalham comigo... e nao se queixam, sao felizes assim e dizem que para elas, andar destapadas e como para nos andarmos nus nas ruas.

por exemplo, uma daqui, que tem duas filhas que ja nasceram em londres, diz que estas optaram por nao usar burkha...

E realmente uma questao de multiculturalismo que vao para alem do nosso entendimento.

isto nao quer dizer que goste de ver, nao gosto nada... mas desde que seja opcao da mulher, nada contra.

infelizmente nao e sempre assim.
beijos

Mad disse...

E será que é mesmo uma opção da mulher? A mim faz-me pena.

Melões Melodia disse...

Como te disse, a mim tambem me choca, mas depois de conhecer algumas...
Ha coisas que nao entendemos, por mais que queiramos.
Beijos

tcl disse...

vê a coisa pelo lado positivo. as fotografias são lindíssimas!