janeiro 02, 2008

Happy New Year!!!

Mais que toxicodependente ou alcoólatra, sinto-me uma criminosa por ser fumadora. Eu até quero deixar de fumar, mas por amor de Deus! Parece que descobriram que a culpa de todos os males da sociedade, da segurança social falida, do crime organizado e da violência, afinal, é de quem fuma!

20 comentários:

leonor disse...

Bom 2008 :-)

Capitão-Mor disse...

È o Estado a querer apertar o cinto. Será que com os impostos que pagamos, não tenho o direito de ser tratado caso contraia alguma doença pelo meu hábito menos saudável?
Feliz 2008!

João disse...

Olá Mad!
Concordo em absoluto com o que dizes sobre a proibição do tabaco em locais fechados (no aspecto persecutório) agora..compreendo perfeitamente que os não fumadores não são obrigados a levar com o nosso vício.
Portanto acho uma medida certa e adequada pelo respeito que merecem as pessoas que não fumam.
Agora a preocupação devia alastrar-se à pobreza que mata muito mais que o tabaco!
Beijo

manuel teixeira disse...

Que não se perca a realidade dos factos.
O que está em causa não é
proíbir ninguem de fumar, o que se proíbe é que se fume nos locais que também são frequentados por aqueles que NÃO fumam.
Porque 'a norma' (de normal) é NÃO FUMAR, não se pode inverter a situação como se 'a norma' (de normal) fosse: FUMAR.

Não sou fundamentalista de modo algum - quem quizer fumar que fume, tal como eu o fiz entre os meus 15 e 60 anos - só que concordo que chegou a hora de repor 'a norma' em favor da protecção de todos os que não fumam. E porque isso me parece justo e correcto, não dá para agora todos aqueles que fumam se sentirem específica e particularmente perseguidos. Até porque este não é o caso.

É isto, e só isto, o que está em questão.

Sorry smokers, you have my sympathy, though...

Gi disse...

O Manuel Teixeira que me perdoe mas gostava de saber o que é que ele achava se durante os 45 anos que fumou se tivessem lembrado de "repor a norma" como ele diz !

Creio que neste assunto os ex-fumadores talvez porque (por razões de ordem várias) tiveram que acabar com o vício/prazer agora não querem que mais ninguém o tenha. São so mais fundamentalistas.

Criem-se espaços onde possam haver fumadores. Caramba se se fala de casas de chuto eu não posso ter espaço para fumar ? :O) Passando do sarcasmo à ironia já agora porque não proibir o colestrol? Ou proibir a obesidade ... não contribuem eles para tantos ataques cardio-vasculares que entopem os nossos hospitais e levam uma pipa de massa à nossa segurança social? Ainda arranjo um abaixo assinado ...

Que nervos.

manuel teixeira disse...

Que também a Gi me perdoe, mas eu não sou a favor de proibições, nem na generalidade, nem do fumo em particular.
O que eu sou é contra a liberdade auferida pelos fumadores quando ela colide com a liberdade dos que não fumam.

O problema dos fumadores em locais públicos é que 'obrigam' os que não fumam a terem que fumar.
Em minha mente não se trata de proteger os que fumam proibindo-os de fumar, mas sim de proteger os que não fumam não os obrigando a fumar.

E se 'a norma' tivesse sido reposta mais cedo e durante o período dos 45 anos em que eu fumei, além de ser óbvio que a aceitava e respeitava, por certo teria evitado alguns problemas sérios de saúde que, ao que parece, estiveram directamente relacionados (ou pelo menos agravados) com o meu acto livre de fumar.

Mas porque acredito que mais vale tarde do que nunca, subscrevo agora a proibição de se fumar nos locais públicos fechados. Para bem de todos; de todos os que fumam, mas muito principalmente, de todos aqueles que não querem fumar. Porque de facto, 'a norma', é NÃO FUMAR.

Quanto ao colesterol e à obesidade de uns, que eu saiba, não obrigam à obesidade e ao colesterol de outros (pelo menos dentro de uma mesma geração, posto que em termos de ereditariedade.......) mas lá que contribuem para tantos ataques cardio-vasculares que entopem os nossos hospitais e levam uma pipa de massa à nossa segurança social, é um facto inquestionável, Gi.

Termino na esperança de que, se é fumadora aproveite para deixar de fumar, antes de mais nada e acima de tudo, para o seu próprio bem.
O resto virá por arrasto.

Anónimo disse...

Liberdade era o dono da taberna que fica por baixo de minha casa decidir se o seu estabelecimento é ou não é para fumadores. Ninguém é obrigado a ir a uma taberna ou a um café, por isso o dono escolheria que tipo de clientela lá quer. E o cliente escolhe a que tipo de estabelecimento qer ir.
Já em serviços públicos sou 100% a favor que se proiba o fumo.
Ao que parece, o Governo, preocupado com o vício do jogo que, por acaso, lhe rende "algum" dinheiro, pretende abrir uma excepção à proibição do fumo nos casinos.
É como no caso do aeroporto da Portela. Dizem que é mau porque causa muita poluição sonora, mas ao mesmo tempo, é o único aeroporto de capital europeia onde os velhos e ruidosos Antonov e Iliushin russos têm autorização para fazer escala...
I.A.

kiko b disse...

e advinha o que vem a seguir ?
aceitam-se apostas...

marta disse...

ora o que vem a seguir é uma gaja que deixou de fumar e que está cem por cento contra qualquer governo que se atreva a legislar sobre a liberdade de cada um.

Ah! já me esquecia que recomecei a fumar (e para o Sr, Manuel Teixeira já tinha deixado de fumar há 11 aninhos já feitos em Maio passado) só de fúria desta lei que arranja salas de chuto para os toxicodependentes, mas que tornou o fumador em perigo público numero um.

Já agora porque não começar a proibir a torto e a direito?
esta É SÓ a 1ª medida.
quando vierem proibir outra coisa qualquer que lhes dê na cabeça, também se arranjará uma desculpa qualquer.
E sabem que não é proibido fumar nos casinos, apesar de serem espaços públicos?
E sabem porquê?
Porque a proibição de não fumar entra em em conflito com os interesses do vício do jogo

Agora expliquem-me lá esta.

manuel teixeira disse...

Marta, desculpar-me-á mas não está a ver bem o filme.

Não se trata de legislar sobre a liberdade que cada um tem e continuará a ter de QUERER e poder fumar, posto que ninguem proibiu ninguem de fumar.

O que se proibe, sim, é o fumar em locais tais como os espaços publicos fechados, onde tambem existem cidadãos que NÃO QUEREM fumar .

Ninguém proíbe ninguem de fumar em locais abertos, arejados, ou na privacidade da casa de cada um.

Liberdade não é fazer o que se quere, liberdade é fazer o que se quere desde que o seu exercício não interfira com a liberdade dos outros de o não querer fazer mas ter de o fazer.

Quanto aos Casinos estou em total acordo consigo, e creio que se deverá concentrar a militância na defesa da coerência, até porque há quem QUEIRA jogar sem necessáriamente TER DE fumar...

Mad disse...

Manuel, és um troglodita (foi o que me chamaram por defender a liberdade de escolha).

Acho que esta frase do I.A. diz tudo: Liberdade era o dono da taberna que fica por baixo de minha casa decidir se o seu estabelecimento é ou não é para fumadores.

E Marta, tu és doida por começar a fumar outra vez.

Beijnhos de Bom Ano a todos.

Mad disse...

E não me digam que os donos dos cafés têm liberdade para escolher. Os tais equipamentos de extracção não estão homologados, custam milhares de euros e podem não ser aprovados pela ASAE depois de lá estarem. Isto é escolha?

Anónimo disse...

Manuel Teixeira
Uma Taberna ou um café é um espaço público ao qual ninguém é obrigado a ir.
Por isso sou a favor que deve ficar ao critério do proprietário decidir se se pode fumar ou não. E ao critério do cliente frequentar ou não esse estabelecimento.
Qualquer dia proibem a música tecno em dscotecas porque uma qualquer associação diz que faz sangrar os ouvidos.
Segundo a sua teoria, posso continuar a ouvi-la no meu ipod, não perdendo assim a minha liberdade...
I.A.

manuel teixeira disse...

TRATA-SE APENAS E SÓ DE UMA QUESTÃO DE COERÊNCIA E PRAGMATISMO, MEUS CAROS.

Uma vez mais me vejo na necessidade de aqui reafirmar que 'a norma' (de normal) é NÃO FUMAR e que FUMAR 'não é a norma' (de normal).

Por outras palavras:
NÃO FUMAR é a regra, FUMAR é a excepção.

1º)Não se pode inverter as permissas e defender que: quem não fuma que não vá aos locais onde se fuma, quando a permissa deve ser: quem fuma que não vá aos locais onde não se fuma.

2º) Porquê aqui trazer como exemplo
de liberdade uma hipotética tasca (que creio ser um local público e fechado) e evocar que o taberneiro deve poder ser ele a escolher se os seus fregueses serão ou não fumadores ? Fará isto sentido? Será isto liberdade? E se fôr, será esta a liberdade que devemos e queremos defender? Não creio.
E então quanto a todos os outros espaços publicos e fechados que não são tabernas? Será que também se deve aplicar o mesmo princípio? Não creio. Eu sei que estamos em Portugal mas, de qualquer modo, nem só de cafés, restaurantes e tabernas vive o homem, que raio.

3º) No referente á musica tecno nas discotecas, quem queira sangrar dos ouvidos que use o ipod não perdendo a sua liberdade de, querendo, o poder fazer.
Agora fazer sangrar os meus ouvidos é que não, e por isso creio que, para mim e para outros como eu, há legislação limitativa de decibeis nas discotecas (que SÃO LOCAIS PÚBLICOS FECHADOS). Agora se a lei é ou não cumprida... isso é outra cumberssa ! ! !
É que legislar é fácil, o difícil é que se cumpra a lei.

marta disse...

Manuel Teixeira


só lhe desjo e do fundo do coração, que quando o estado vier outra vez legislar sobre a liberdade individual, não seja apanhado ou inserido nessa lei.

Mesmo do fundo do coração.


Não sou nada doida Mad
Não vou cá ficar para semente, e se há alguma coisa que me irrita profundamente, é pensar que posso morrer cheia de saúde.
Com essa é que eu afinava, podes crer.

Mad disse...

Manel, o que me irrita profundamente é saber que provavelmente não vou conseguir estar mais vez nenhuma num café (ou pior, num bar) a saborear um cigarro em paz. Se isso não é interferência directa na minha liberdade individual, não sei o que é.

Martinha, LOL!
Mas a vida é tão boa!... Não a queres passar cheia de tubos enfiados no nariz, pois não? (Ó pra mim armada em moralista...)

rv disse...

Haver salas de chuto e não terem sido criados sítios onde se possa fumar é que me irrita profundamente. E também me irrita bastante não poder fumar num café, num bar ou num restaurante e ter de o fazer lá fora onde os passeios se vão enchendo de beatas. Mas o que mais me irrita nesta nova lei é a arrogância e a falta de coerência do certamente não-fumador e verdinho legislador e dos nossos deputados, que são aquilo que a gente sabe, que a fizeram aprovar... com estupidezes e faltas de clareza ou então com "buracos", que agora permitem que já venham inventar que afinal se pode fumar nos casinos!?

Mad, ao menos na tua Parvónia brasileira fumas à vontade!

Mad disse...

Ahá prima!, que já cá fazias falta!

Pois, fumar deve ser mesmo a única coisa que eu lá faço à vontade...

marta disse...

Mais quais tubinhos Mad?

Estás a insinuar que ando a snifar?
Ah!Ah!Ah!

já pensei nisso, para ver se me arranjavam uma salinha....
:))

Mad disse...

Marta, LOL!
Não, era uma referência aos tubinhos de hospital mesmo...