dezembro 04, 2007

O mamarracho

Janto, como é habitual, no Rio’s, o restaurante mais bonito da cidade, um casarão colonial com paredes de pedra e cheio de portas-janelas, com um alpendre enorme à beira do rio. E continuo pasmada, também como já é habitual, a olhar para o mamarracho de cimento, a escassos metros de mim, a ponte que atravessa o rio Parnaíba mesmo no meio do bairro mais bonito da cidade.

O Porto das Barcas foi o bairro que deu origem à cidade de Parnaíba. Tem uma centena de casarões antigos, a maioria em ruínas, claro, mas uns poucos aguentaram-se de pé e foram ocupados por restaurantes, bares, lojas de artesanato e agências de turismo. E não acharam nada melhor do que pespegar mesmo no meio deles uma horrorosa ponte de cimento.

A ponte foi mandada construir há 30 anos pelo mais ilustre filho da terra, Alberto Silva, na altura prefeito e agora senador da república, que, com pompa e circustância, a “ofereceu” à cidade (à custa do erário público, obviamente), justificando-se com o perigo da travessia que tinha de ser feita de canoa da cidade para a ilha em frente (o rio tem 50 metros de largura e quase nenhuma corrente).

Claro que, no meio da festa de arromba que também "ofereceu" ao povo, a quem encheu o bucho de cerveja e cachaça à borla, ninguém se lembrou que quase metade da ilha era dele, assim como a fábrica de tijolos onde a ponte muito convenientemente desemboca, pelo que, além de ter visto as suas terras valorizarem-se da noite para o dia, ainda reduziu o transporte da sua mercadoria para todo o estado.

5 comentários:

Sofia disse...

Olha que engraçado... do que tu me foste lembrar! O Rio´s é um restaurante maravilhoso sobre a marina de Oeiras, onde se come maravilhosamente! E Porto das Barcas uma praia maravilhosa, perto da Lourinhã, onde também há um belo restaurante, onde costumamos almoçar nos Sábados de Inverno, a apanhar aquele sol que mal dá para aquecer a ponta dos dedos, mas a ver aquele mar da zona oeste, muito branco, muito batido... Lindo... pena é que nada ali é de borla, o marisco paga-se bem caro, as caipirinhas também... Beijinhos

tcl disse...

não dará para pôr uma bombita num dos pés da ponte que funcione por implosão, para não estragar a envolvente? e já agora oferecer os restos ao tal senhor, depositando-os lá na tal fábrica.. hum?

kiko b disse...

toda a cidade, vila ou aldeia no brasil tem uma estória igual....é a guerra entre "maiorais"...essa malta devia de ter uma convencção anual para eleger o mais astuto...já de mamarrachos, portugal continua a ser o 1º da lista....nem queiras vêr o que entretanto surgiu...

Fatyly disse...

Subscrevo as palavras de kiko...e actualmente estamos a braços com obras dantescas que só servem para uso e abuso do poder. Um dia quem sabe a casa não virá abaixo...mas até nisso o povo é sempre o mais sacrificado.

rv disse...

Cá, caso já te tenhas esquecido, é praticamente a mesma coisa. E, a propósito destas coisas, só me apetece dizer aquilo que me alivia e que te disse há bocadinho por mail: p--- --- -- ----u!!!