outubro 31, 2007

Horário de inverno

Já chegou o horário de inverno ao Brasil. Em todo o país menos em Parnaíba e no meu povoado. Tudo porque algum idiota daqui (o Piauí é o estado mais idiota de todos) decidiu que o horário de inverno é coisa de paulista metido a besta qui num tem mai nada prá fazê e só faz é compricá a vida da gente, e conseguiu meter na cabeça dos outros todos que não é preciso mudarem a vida e os relógios. Portanto, foram todos atrás dele e agora vê-se a novela das 6 às 7, as lojas abrem às 7 da manhã e as horas da televisão estão erradas. E eu, claro, nunca sei a quantas ando.

Por acaso, não fôra a idiotice dos argumentos, até lhes dava uma certa razão. A história de mudar a hora, principalmente para a de inverno, é embirrante. Mudar a vida de uma hora para a outra dá-me cabo do metabolismo e estraga-me o prazer de ver o telejornal assim que me levanto, de caneca de café em punho, e de almoçar exactamente à hora do Friends.

10 comentários:

Fatyly disse...

Fizeste-me rir à gargalhada e o meu metabolismo anda meio aparvalhado.
Não sabia que no Brasi já havia a mudança da hora e dessa tomada de posição:))))))))

Anónimo disse...

o idiota tem razão. aí no equador dia e noite têm sempre mais ou menos 12 horas cada
i.a.

Mad disse...

Eu sei. Mas as leis são para se cumprir, ou não??? Isto de cada fazer o que dá na real gana...

Anónimo disse...

Eu cá só sou a favor de que só se cumpram as leis justas. E essa de impôr um horário de inverno (ou de verão) num local onde não tem essas estações solares não me parece justo não.
Por outro lado, sou sensível ao problema dos espectadores de novelas. Assim, na senda duma solução equilibrada, devia haver meio fuso horário de diferença entre os estados mais próximos do equador e os mais a sul. E, então, os estados do Acre, Amazonas, Rondonia, Amapá, Pará, Maranhão, Piauai, Ceará, R.G.do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Tocantins, Mato-Grosso e Bahía (estes últimos só talvez) e o território de Fernando de Noronha ficam com um horário fixo com meia hora de diferença para demais estados, meia hora que se fixaria entre os horários de verão e inverno destes.
Assim, o Brasil ficaria com seis em vez de quatro fusos horários diferentes, o que só viria simplificar as coisas.
Apresenta esta ideia ao governador do Piauí, que ele é capaz de a achar boa.
Ou então propõe-lhe a conversão ao sistema de horas decimais que, quanto a mim, é o futuro.

I.A.

tcl disse...

estou a ficar loura? então se nós, que estamos no hemisfério norte, entrámos agora no horário de inverno, vocês, que estão no hemisfério sul, não deviam estar a entrar no horário de verão? não percebo nada!

Mad disse...

Fatyly, o objectivo era esse mesmo :)

I.A. (imposto automóvel?), puseste-me a cabeça a andar à roda. Aqui no chamado Meio-Norte (do Piauí para a esquerda, não há realmente diferença de horário. Talvez por isso algum iluminado de Brasília devesse perceber que não é preciso haver mudança oficial de hora nestas bandas. Mas essa de só se cumprirem as leis justas só se fôr na Suíça, porque aqui era a rebaldaria total (mais do que já é!). Já viste cada um achar perfeitamente justo matar o vizinho porque o chateia há uma década? Não pode ser, tem que haver regras.

Teresa, tens razão: o horário oficial que entrou foi o de verão. Mas como este país é quase um continente, no Sul é realmente verão, enquanto que aqui vai agora começar a estação mais fresca e das chuvas, daí chamarem-lhe, com toda a lógica, inverno.

Como é que estes gajos não hão-de ser meio esparvoados? Como???

Mad disse...

I.A. (Irra Amélia?), que sistema é esse de horas decimeis que eu não conheço? Se fôr uma hora dividida em 10 unidades, parece-me bem.

Anónimo disse...

O sistema decimal aplicado à medição do tempo consiste em dividir o dia em 10 horas, as horas em 100 minutos, 100 minutos, 100 segundos etc. (as centésimas de segundo já nós usamos). Assim, a nova hora corresponderá mais ou menos a 2 horas e meia das nossas, e por aí fora. A grande vantagem do sistema é facilitar as contas. Por exemplo, diz-se que um indivíduo está em greve de fome há 93 horas. No sistema que actualmente utilizamos há que fazer uma conta mais ou menos difícil para termos a percepção de há quantos dias ele está sem comer. No novo sistema, se eu digo que ele está em greve há 42 horas, sei imediatamente que não come há 4 dias e duas horas.
Soube que este sistema está a tentar ser implemantado no Nianmar e consta-me que a Suiça - por motivos óbvios - é grande adepta da mudança.
I.A.

Capitão-Mor disse...

Não estarás a ser um pouco rigorosa de mais? Aqui no RN também não existe mudança horário, mas isso até agora nunca interferiu muito comigo...

marta disse...

Almoçar à hora dos Friends?

Percebo-te perfeitamente, não se pode perder, e a comer ao mesmo tempo, sempre se corre o perigo de não se poder gargalhar quando dá na gana.