outubro 23, 2007

Diálogos online


Do not write merely to be understood. Write so you cannot possibly be misunderstood.

- Robert Louis Stevenson

Qual a garantia que temos de ser bem interpretados quando afirmamos por escrito qualquer coisa online? Não quero dizer com isto que seja obrigatória a convergência de opiniões: ninguém gosta mais do que eu de uma boa discussão*.
Por mais que a verve seja impecável, por mais cuidada e elaborada ou, por outro lado, curta e simples – e, pela lógica, menos passível de más interpretações - que seja a expressão escrita, a outra, a expressão corporal/facial faz uma falta insubstituível, para quem não conhece o interlocutor, ou apenas tem vagas referências de conhecimentos ou vivências comuns?

Não deveria fazer. A palavra escrita deve pesar por ela própria – e só. Não por qualquer bagagem anterior, por alguma referência obscura que não seja também ela escrita, ou por algum estado de espírito alheio ao tema.

* no sentido de troca de idéias e opiniões

5 comentários:

Carla disse...

Acho que numa fase inicial a escrita é mais um monólogo do que um diálogo, por isso tem a força que tem para quem escreve, mais do que para quem lê...
Carla

Mad disse...

Obrigada pela visita, Carla (como sempre, não consigo ir ao teu blog, se é que o tem).

Mas a minha dúvida é se é possível distanciarmo-nos do que está por trás da escrita e concentrarmo-nos (e obviamente reagirmos) só no que está escrito.

Madalena disse...

Acho que é muito dificil concentrarmo-nos só na escrita, temos sempre tendencia a tentar captar algo mais..
o que se complica Mto quando não conhecemos bem o interlocutor, a expressão corporal tem mta influencia!

Se bem que acho que não acontece mto em blogs, mais em trocas de mensagens escritas ou chats, se calhar as vezes deixamos de ser tão naturais como seriamos "ao vivo" para não sermos mal interpretados!

Por outro lado..também faz parte da magia das palavras, conseguirmos ir mais além daquilo que está escrito..como num livro, cada um depois imagina as coisas à sua maneira!

marta disse...

Minha Querida


Mesmo ao natural, facial e corporalmente falando, somos mal interpretados, quanto mais em chats e mails.

às vezes até dá raiva, e volta-se a ler o que se escreveu vinte vezes e não se vislumbra como pode ter sido assim interpretado.

Também me pelo por uma boa discussão.

Mad disse...

Pois... o que vale é que as coisas ficam por escrito, e portanto abertas à análise de terceiros.

Não é que eu seja propriamente cuidadosa com o que digo/escrevo (sempre me disseram que eu tenho o coração um metro fora da boca), mas mesmo assim, tenho noção do que escrevo. É como dizer que se gosta de azul escuro e chamarem-nos racistas!