outubro 08, 2007

Cromos portugueses

Num país em que os jovens se peidam nas aulas e uma em cada três palavras que dizem é "c*******" (as outras duas do seu "extenso" vocabulário é "f***-se" e "meu"), bem que era preciso alguém com conhecimentos de etiqueta e boas-maneiras. Até pode ser que as gerações futuras consigam comer à mesa sentados numa cadeira, sem arrotar ou cuspir as cascas dos hamburguers para o chão. Paula Bobone é o exemplo vivo de um percurso de sucesso: de medíocre funcionária dos CTT a rainha da etiqueta; autora consagrada de best-sellers com direito a montra do dia na Bertrand e FNAC. Numa recente edição da "Grande Reportagem", Bobone deixa-nos esta pérola: "Os sem-abrigo deviam assumir a sua condição". Ou ainda esta: "Gosto de me enfeitar como se fosse uma árvore de Natal a 25 de Dezembro. As portuguesas ainda têm um ar cinzento e pouco audaz."

Aqui há mais. E ele também acha.

14 comentários:

ana vidal disse...

"Os sem-abrigo deviam assumir a sua condição" é um primor de frase, comparável à da rainha Maria Antonieta: "Se o povo não tem pão, que coma brioche".
Uma guilhotinazinha, bem rente ao colar de pérolas, não era uma asneira tão grande.

Mad disse...

Ou usar o próprio colar de pérolas... esganada, mas com classe.

ana vidal disse...

Mas ela tem alguma razão quanto à cinzentice das portuguesas. Embora entre isso e uma árvore de Natal, venha o diabo e escolha.

ORIANA disse...

Mad. o site é fantástico, gosto sobretudo do apelos finais: "Participe, mande bitaites, cague postas-de-pescada, deite tudo cá para fora, vomitar é grátis!" Lindo... Mas o que distingue a Bobone da Lili Caneças é que esta segunda oferece os seus vestidos Chanel (usados) às emigrantes cabo-verdianas dos bairros de lata!

beijinhos

kiko b disse...

os pais não tem tempo para educar os filhos, os filhos são educados pela "tvi"...
quem é que sobra - uma cambada de "alguns velhos"(ex. esta senhora, o outro que acha que é conde, a parva da tarologa com nome de abelha, os big brothers, etc) que acham que a melhor coisa que lhes aconteceu foi a abrilada porque antes não eram ninguem e hoje vendem por tudo e por nada...
A CULPA É TODA NOSSA, SE NÃO ALIMENTAR-MOS OS PORCOS, ELES MORREM - esta é tipo "la palisse"

ps - desculpa, mas est(e)as gaj(o)as enojam-me

Ricardo Fonseca disse...

A Paula Bobone é uma pobreza de espírito.

Mad disse...

Cinzentice??? Querem ver que vou ter uma irmã VG?

Manuel disse...

"Num país em que os jovens se peidam nas aulas e uma em cada três palavras que dizem é "c*******" (as outras duas do seu "extenso" vocabulário é "f***-se" e "meu"),(...)"
É a primeira vez que visito o seu blog, e ao ler este parágrafo só me ocorre dizer-lhe que não sei se é pior ler frivolidades como as da Paula Bobone ou generalizações como estas que faz!
De certeza que tem mais que fazer?

Mad disse...

Manuel, talvez sejam generalizações, mas são acertadas. De qualquer modo, sou aberta a críticas, desde que lógicas. A sua errou o alvo: isto é uma citação(já ouviu falar em "itálico?").

E pior que fazer generalizações, é não ter noção de que uma aberração destas existe e vende livros ao mesmo tempo que vomita pérolas destas (de certeza que leu a dos sem-abrigo?)

Ela por acaso é da sua família?...

Luis disse...

A mulher era dos Correios, CTT? Cotas Todas Tias? Está certo. Bom, eu ando tão grunho que ainda vou ter de ler um capítulo ou outro. Ah, o Nelo Bobone devia fazer o mesmo. Quem não quer ler, veste-se e vai embora ... é uma questão de boas maneiras.

Manuel disse...

Olá Mad. Não precisa de recorrer ao insulto ao perguntar-me se a Paula Bobone é da minha família! Livra!
Eu só discordo consigo na caracterização que faz dos "jovens portugueses". Só.
O meu post não era uma crítica (blog=liberdade de expressão), sei o que são aspas e citações e itálico. E sim, tenho consciência daquilo que Paula Bobone é e representa.
Acredite que não foi minha intenção iniciar qualquer tipo de discussão consigo. Foi só um comentário. Só.

Mad disse...

Manuel, acabei de reler o meu comentário e não vejo onde está o insulto, a não ser que agora esteja a ser irónico (está?). Mas tem razão... se mo dissessem, eu também encarava como insulto.

Concordo consigo em relação aos jovens. Claro! Mas a excepção confirma a regra...

Olhe, vamos começar do princípio e com a saudação da casa: bem-vindo a este blog à deriva no atlântico. E volte sempre, principalmente para "discutir". Sem ironias. Eu adoro que me contestem.

ana vidal disse...

Uma VG? Levei algum tempo a perceber o que isso era, mas depois encontrei lá em baixo, e... queres levar um estalo???

Mad disse...

Ui, ui...