setembro 26, 2007

Já dizia o Júlio

A mim, que até "nasci" católica-apostólica-romana, é-me cada vez mais difícil acreditar na Igreja, quando vivo num país onde, de boa vontade, um padre perde tempo e latim a abençoar telemóveis...

Pão e circo. E o circo aqui abunda.

7 comentários:

MRR disse...

O livro que estás a ler lembra-me um que li há muitos anos atrás, talvez 20 ou mais. Esse livro, que não me lembro nem nome nem autor, foi um dos que melhor recordo e talvez o 1º do género "romance histórico" que li (e daí para a frente seguiram-se muitos). O livro contava a chegada dos ingleses, depois dos boers e as lutas entre eles, a fuga e colonização para o interior e os choques com as populações locais. O que estás a ler não conheço, mas vou tentar comprá-lo.

Mad disse...

Adorei este livro. Já há que tempos que não lia um livro assim, leve, de aventuras. Nos últimos tempos tem-me dado mais para a literatura séria e tenho-me esquecido do bom que é um "007" em forma de livro. Há outro do mesmo autor, chamado "Monções", que narra a primeira parte desta aventura. Devias talvez começar por aí.

Bjs.

rv disse...

Como é que é essa das bençãos a telemóveis?!!!! Conta lá....

Micas

Mad disse...

Juro que é verdade! Este povo tem a mania de abençoar tudo. Devem ter medo que o diabo goste de novas tecnologias... São todos muito religiosos mas depois roubam o vizinho!

ana vidal disse...

Quem é o Júlio?

Mad disse...

Ana, isto nem parece teu! É o César! Quem é que dizia "pão e circo"?...

ana vidal disse...

ah!