julho 15, 2007

Primeiro dia de obras

Já sabem que adoro obras, ao contrário da maioria dos mortais.

Hoje foi o primeiro dia das obras da garçonnière (pronto, assumo), portanto é o dia em que se parte tudo à marretada. Quando eu era miúda, deixavam-me sempre dar umas marretadas nas paredes para fazer o gosto ao dedo, mas hoje em dia gosto é de mandar fazer.

A poeirada, o entulho, os montes de cimento no meio do chão, canos enormes e fios eléctricos espalhados pelos cantos e os PUM PUM PUM a rebentar com os típanos. Mexer no cimento, fazer as marcações no chão, andar de metro e de máquina de calcular em punho com ar de engenheira... Haverá coisa mai' linda que uma colher de pedreiro?

Para ajudar à festa, o Diogo teve que ficar na fazenda e não pôde vir, por isso só sou eu a mandar (eh eh eh). Claro que já mudei uma data de coisas que tínhamos combinado fazer, mas também já sei que no fim ele vai dar-me razão, as usual. Os homens não vêem as subtilezas, os pormenores práticos, a poesia de inventar um nicho onde só havia uma parede lisa, de fazer a bancada da cozinha exactamente da altura do frigorífico e exactamente centrada com o sítio onde vai ficar a mesa, de pôr os azulejos da casa-de-banho na diagonal para disfarçar as paredes tortas (não tenho um único ângulo recto!).

A Arquitectura está para as mulheres como um Quinta da Bacalhôa para um cozido à portuguesa: nasceram uns para os outros.

7 comentários:

av disse...

Para mim o Quinta da Bacalhoa acabou de vez: agora é do Berardo (como quase tudo neste país, aos poucos), não bebo mais. Nem que tivesse que voltar ao carrascão!, mas felizmente ainda há muitas outras boas alternativas.

Qto às obras vai em frente, miúda. Que inveja!

Anónimo disse...

Força para essas obras, vai ficar lindo!!
Sabe, uma novidade? estou a tentar fazer um BLOG, SÓ QUE NÃO PESCO NADA DISTO.... Vamos ver o que vai sair.... só tem nome ainda mais nada..... é " Ter começado é meio caminho andado"!!!
Vamos ver se consigo fazer algo.
Beijinhos ao Diogo e muitos para si
AL

Mad disse...

Ana, se é assim, vou passar ao Luís Pato.

Tia Aninhas (espero que não se ofenda de a tratar assim), ACHO O MÁXIMO! E vai uma aposta que o seu blog vai ultrapassar o da sua linda filha num instantinho? Além de que o título é o máximo! Adoro ver mães (da sua geração, entenda-se) na internet.
Muitos beijos dos 2.

FL disse...

Eu até ia fazer um comentário todo janota... Mas entro aqui e deparo-me com o quê? A MINHA MÃE!!!!
Que agora tem um blog!!!!

Assim não há condições:(

Mario Cordeiro disse...

"Os homens não vêem as subtilezas, os pormenores práticos, a poesia de inventar um nicho onde só havia uma parede lisa".

Madalena. ALGUNS homens. E cada vez menos, felizmente, porque libertaram a sua componente de sensibilidade que a sociedade machista - que durou quatro milhões de anos e fez o imprinting genético que temos - estimulou e acarinhou.
A mudança de paradigma é real, felizmente.
Talvez devido à minha "provecta" idade e ao facto de ter filhos de 28, 26, 5 e dois de 3 anos, ligo cada vez mais, precisamente, às subtilezas, aos pequenos pormenores, à poesia justamente de inventar um nicho onde só havia uma parede lisa e árida.
Eu diria que "há pessoas que", mais do que "há homens que" ou "mulheres que". Mas isto é sobretudo para te provocar, ou pensas que é só mandar bocas para o lado de cá do Oceano?!?!?!? As marés têm fluxos e refluxos!
Bjs
Mário

João Paulo Cardoso disse...

Deus cria, a Madalena sonha, a obra nasce.
Mas esperemos que ela não tenha tirado o curso na mesma universidade daquele outro engenheiro...

Beijos.

MRR disse...

Eu sei que as comunicações não são grande coisa, mas já estamos ansiosos pelo 2º dia de trabalho e ver as fotos da empreitada.