julho 03, 2007

O meu circo privado

A pedido de várias famílias, eis a minha bicharada de estimação em toda a sua glória. Sujam a casa inteira, partem os vasos, roem os chinelos, enchem os sofás de pelo, fazem-me gastar fortunas em ração, desparasitantes e Frontline, e principalmente deixam-me os nervos em frangalhos – e a culpa é minha, porque fui eu que os estraguei com mimo! – mas que eu adoro de paixão.
Por ordem de idades:
A Maria, uma rafeira gorda e de rodas baixas resgatada de um caixote do lixo em Oeiras há mais ou menos 11 anos (acho eu!), importada para cá por uns amigos e que eu acabei por herdar;
O Xuruca, um pastor alemão de 6 anos, tão esperto que qualquer dia diz-me bom-dia e eu não estranho...;

O Batata (Frita, de apelido...), um rottweiler de 11 meses ainda um bocadinho apatetado, que não tem absoluta noção que é uma besta de quase 50 kilos e que se comporta como se fosse um poodle, e que é assumidamente o meu bébé;


E o Vasco, um gato amarelo também de 11 meses, que ainda vai aprender a falar primeiro que o Xuruca e que tem o descaramento (cérebro versus músculos...) de mandar nos outros todos.




2 comentários:

av disse...

E o Pongo, que era um gigante delicioso? Não acho justo que não esteja aqui uma fotografia dele.

João Paulo Cardoso disse...

Parece que o Pongo...


Quanto aos outros, (e como dirigente de uma Associação não me fica muito bem dizer isto, mas ser politicamente correcto não é comigo...) assumo que não sou fã de Pastores Alemães e muito menos de Rottweilers e prefiro descaradamente os gatos aos cães.

Por isso, adorei o epílogo da tua Arca de Noé:

"E o Vasco, um gato amarelo também de 11 meses, que ainda vai aprender a falar primeiro que o Xuruca e que tem o descaramento (cérebro versus músculos...) de mandar nos outros todos."

Mas devo dizer-te que adorei conhecer a bicharada!!

Beijos.